terça-feira, 13 de setembro de 2011

O Silêncio

O vento bate lá fora,
Os pensamentos estão distantes,
O frio que incomoda minha noite,
Não está tão sufocante,

A noite que passa depressa,
Não avisa, sempre vai, até que no meu sono ela se expressa,
Voar tão alto já não é mais tão importante,
O que quero mesmo é não estar tão distante,

O medo da solidão agora é meu amigo,
Já não se fazem dias como no passado mas nos dias atuais,
Encontrei meu abrigo,

Vejo o passar das estrelas pela janela,
Queria ficar acordado até ver o céu laranja e amarelo,
Ver o nascer do sol nos dias atuais,
Me pareceria muito belo,

Minha mente volta a se encontrar,
Dentro do profundo dos meus pensamentos eu acabo de te encontrar,
Esse alguém que eu sempre busquei e não encontro,
Mas que sei que dentro do meu coração, existe e eu conto.

É no passar dos dias que eu vejo o quanto eu amadureci,
A alguns poucos anos atrás nem imaginava chegar até aqui,
E quando chegamos no caminho certo, nada pode nos parar,
Porque a luz brilha no fim do caminho, mas ela pode parar de clarear,

Sinto esse cheiro da noite, esse cheiro que me agrada,
Já vou me embrulhar nos cobertores e fazer com que meus sonhos me afastem meus horrores,

Boa noite, ó noite mais bela,
Obrigado por me fazer descansar, obrigado por me fazer rir e chorar,
Obrigado por aqui estar!

Nenhum comentário: